Apocalipse

O relógio de cuco marcava três da manhã quando Dean entrou pela porta da frente de minha casa. Carregava em sua jaqueta desbotada – que cobria aqueles seus braços trêmulos e já muito marcado das várias agulhas de muitas historias passadas – a moça inconsciente e semidesnuda que logo largou em meu sofá.  Olhou para … Continuar lendo

complexos

“The Bohemianism” complex  Ela saiu faz nem uma hora. Divertido é palavra que procuro. 15 gotas de rivotril, dormonid de 15 mg. Combinam. Esfarelo um pouco de remeron sobre a língua, só para complementar com um sabor adocicado e artificial. São dez, ou talvez vinte minutos, de plena lucidez. Momento, aquele, que deveria ser usado … Continuar lendo

Alexia

Jesus disse uma vez que eu não era uma boa pessoa. Nunca fiz trabalho voluntário, ajudei aos pobres, ou coisa assim. Nunca cumprimentei o zelador, abri a porta para uma mulher passar ou mesmo paguei os 10% do garçom. Confiar em mim? Sem chance. Atravessar a rua com a senhora mais velha? Muito trabalho. Não … Continuar lendo

4 GOTAS DE RIVOTRIL, 1 STILNOX E ½ REMERON

UMA GOTA “Quanto mais você se abrir, mais as pessoas irão se conectar”. DUAS GOTAS  “Não seja perfeccionista, não exija tanto de si”. TRÊS GOTAS  “Você consegue”. QUATRO GOTAS “Caiu, levante”. Pergunto se os números são arbitrários. E as frases de autoajuda? Ele diz que não com a cabeça. Devo tomar quatro gotas ou cinco? … Continuar lendo